aprender fotografia

A inspiração para esse post vem de um email que recebi ontem. A Maíra é amiga da Carol, adora fotografia, cogita adotar a fotografia como profissão e perguntou “como chegar lá”. O que eu posso afirmar é que viver de fotografia é muito gostoso, mas é uma profissão como outra qualquer. Quero dizer com isso que ser fotógrafo não é ter uma vida de glamour como algumas pessoas imaginam, é também muita ralação. Durante muito tempo, além das coisas bacanas,  tive que aceitar trabalhos chatos para fechar as contas no final do mês…

Como em qualquer profissão, para que a gente seja bom no que faz é preciso amor ao ofício e muito estudo. A técnica é só o começo, é preciso aprendê-la para saber manejar as ferramentas, mas mais importante é o desenvolvimento do olhar. Para isso há duas maneiras: olhar o trabalho de outros fotógrafos e praticar a própria fotografia, clicar muito, muito mesmo. Leva tempo. Eu fotografo desde os 15 anos, trabalho profissionalmente com fotografia desde os 21, tive o privilégio de trabalhar com dois ótimos editores na Revista Exame, estudei história da arte, fiz vários cursos sobre fotografia, penso e discuto fotografia o tempo todo.

O que eu recomendo para quem começa? Um curso que ensine a manejar a câmera mas que também ensine a pensar a fotografia. Recomendo muitíssimo o curso do meu amigo André Spinola e Castro na Rever. O cara sabe tudo de fotografia e é um ótimo professor, daqueles que inspiram. Há também o curso do Gabriel Boieiras no Território da Foto e vários cursos técnicos na Fullframe ou no Senac. Aprendidos os fundamentos, vale a pena estudar a história da fotografia (Simenetta Persichetti no Mam, Carlos Moreira) e fazer uns cursos e workshops que estimulem a criatividade (Gal Oppido no Mam). Além disso, é fundamental visitar exposições. São Paulo é uma cidade privilegiada, sempre há algo bom em cartaz. E a internet também é uma fonte incrível de pesquisa, dá para olhar o trabalho de fotógrafos do mundo inteiro, sem falar nos blogs nacionais. Aqui do lado há uma lista de blogs interessantes que podem ser um ponto de partida.

Maíra também me perguntou de influências. É uma lista sem fim. Cada época do meu percurso teve uma influência diferente, seja de um clássico da fotografia, seja de um colega com um trabalho instigante. Henri Cartier-Bresson, André Kertesz, Nan Goldin, Francesca Woodman, Man Ray, Richard Avedon, Edward Steichen, Irving Penn, Cecil Beaton, Carlos Moreira, Duane Michaels, Hiroshi Sujimoto, Nobuyoshi Araki, Arnold Newman, Philippe Halsman, Julia Margaret-Cameron… Sem falar na pintura…

Este ano ainda dá tempo de ver as seguintes exposições: A invenção de um mundo, no Itaú Cultural; A Renault de Doisneau, na Fiesp; Henri Cartier-Bresson: Fotógrafo e Bressonianas, no Sesc Pinheiros; Walker Evans, no Masp.

5 ideias sobre “aprender fotografia

  1. Cláudia Brito

    Estou começando na fotografia agora, amo fotografar e concordo com tudo que disse, procuro sempre me interar do que está acontecendo no mundo da fotografia, seja pela internet, exposições ou trocando idéias com outros profissionais, pretendo me tornar profissional, sei que o caminho é longo, mas estou disposta a enfrentar!
    Bom fim de semana!

    Resposta
    1. Daniela Picoral Autor do post

      É isso aí, Cláudia! A melhor coisa que me disseram quando eu estava começando foi “não desista”.

      Resposta
  2. Stéphanie Nascimento

    Nossa Daniela parabéns! Caiu do céu o seu post mais uma vez!!! Muito obrigada era disso que eu precisava!!!

    Um beijo e sucesso!

    Resposta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s