inesquecível?

Semana passada uma coisa muito desagradável aconteceu. Eu recebi um telefonema da revista Inesquecível Casamento dizendo que um dos casamentos que fotografei em setembro do ano passado havia sido indicado para publicação na revista e que a noiva já havia autorizado essa publicação. Pediram que eu preparasse um CD o mais rápido possível, no máximo para o dia seguinte, pois já estavam em processo de finalização da revista. Para quem não conhece, essa será a segunda edição da revista publicada em São Paulo, sua proposta editorial é publicar casamentos reais, de forma que futuras noivas possam se inspirar com imagens de festas que ocorreram há pouco tempo em sua própria cidade. Eu respondi que tudo bem, mas imediatamente enviei um email para a noiva para confirmar a história. Eu tenho em contrato a autorização para utilizar as fotos de um casamento para a divulgação de meu trabalho, mas não acho correto publicar em uma revista sem antes consultar as pessoas que aparecem nas fotos. Além disso, a noiva pode autorizar a publicação da sua imagem, mas não pode fazer isso pelos pais e padrinhos (a revista sempre publica imagens da decoração, da noiva, do casal e do casal com pais e padrinhos). Há que se ter bastante cuidado com isso. Sabe qual foi a resposta? Ela não havia autorizado nada além da publicação das fotos da cenografia do evento e ficou furiosa ao saber que me haviam dito que estava tudo autorizado. Liguei de volta para a revista e informei que eles estavam equivocados e que eu não enviaria nenhuma foto. A pessoa com quem falei não soube dizer o que havia acontecido. Fiquei com uma péssima impressão, uma dúvida sobre se a redação da Inesquecível Casamento agiu de má-fé comigo na tentativa de me fazer enviar imagens de um casamento que foi realmente incrível ou se eles são tão desorganizados que não tem licença de uso de imagem de ninguém. Fiquei muito chateada com o que aconteceu, pois senti uma total falta de respeito pelo trabalho dos fotógrafos e pela privacidade das pessoas. E ainda perdi um bocado de tempo com tudo isso.

5 ideias sobre “inesquecível?

  1. marinafavato

    Uma boa comunicação é fundamental para que não haja falsas verdades…. com certeza um episódio muito chato para todos. Espero que tenha se resolvido.

    Marina Favato

    Resposta
  2. rossana lamb

    Dani,

    Realmente, isto é muito chato e ocorre muitas vezes com uma frequência que não gostaríamos. O mesmo acontece com entrevistas que damos e as palavras, ao serem escritas, “se transformam” dando outora conotação.
    Seria muito bacana se a revista em pauta ligasse pra ti e pra noiva esclarecendo o que aconteceu ou enviasse um documento se desculpando, mas…..
    Importante foi a tua precaução! É isso aí.

    Um beijo e bom final de semana!

    Resposta
  3. El Grego photography

    Fotógrafos freqüentemente vendem cópias fotográficas ou licenças de uso de suas fotografias. Parece preciosismo lingüístico, mas não é.

    Quando uma pessoa compra uma cópia ela pode, simplesmente, pendurá-la na parede de sua casa e mais nada. Ela não pode duplicar essa imagem, não pode publicar a imagem ou estampá-la em produtos, não pode ceder ou usar a imagem em qualquer tipo de publicidade. Ela não comprou “a foto”, apenas aquela cópia impressa. Se quiser outra deve pagar por ela.

    Quando uma pessoa ou uma empresa compra a licença de uso de uma determinada imagem ela está pagando para poder usar aquela imagem por um determinado tempo, para um determinado uso, em uma determinada mídia e em um determinado local. É fundamental que tudo isso esteja especificado num contrato. Uma imagem que foi licenciada para um determinado uso não pode ser usada em outro, ou fora do prazo estipulado. Falaremos muito sobre isso mais a frente.

    Excepcionalmente um fotógrafo pode vender os direitos patrimoniais sobre uma imagem. É claro que isso só deve ser feito em casos muito específicos e com grande compensação monetária. Isso equivale a dizer que ele emitiu uma licença de uso definitiva, geral e irrevogável ao comprador. O novo “dono” da imagem pode tudo e para sempre. Pode vender, alugar, reproduzir, modificar, etc. A única coisa que ele não pode é ocultar a autoria da foto. Repito: cessão de direitos patrimoniais não pode ser a regra e deve ser muito bem remunerada.

    El Grego photography

    Resposta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s