férias mode OFF

Voltamos! Depois de deliciosos 15 dias, estamos de volta à loucura de Sampa e à ansiedade que permeia esta cidade. É sério, depois de se acostumar um pouquinho com o ritmo tranquilo e sossegado da Provence, a gente fica pensando que paulistano é tudo louco dirigindo com a mão na buzina o tempo inteiro!

Sol, sol, sol. Assim foi a nossa temporada. Saímos de São Paulo mal dormidos, em um voo de domingo pós-casamento (lindo casamento, diga-se de passagem, em breve postarei), e em Paris já embarcamos em um TGV rumo a Avignon. Nosso destino final era Arles, também conhecida como a Roma francesa por causa de seu centro histórico bem preservado, com ruínas romanas nem tão ruínas assim. Foram 25 horas viajando, mas o caminho do trem foi tão lindo que eu nem liguei muito para meu estado deplorável! Chegamos lá, encontramos nosso amigos Grazi e Nando e, depois de um banho reparador, já estávamos na primeira projeção de fotografias do Rencontres d’Arles, o maravilhoso festival que motivou toda essa balada…e sobre o qual falarei em outro post.

O que eu posso contar sobre a Provence? É tudo isso mesmo o que as pessoas imaginam! Um lugar lindo, com céu muito azul, cidades históricas e vilarejos pitorescos, vinho rosé bom e barato (melhor tomar um rosé do que uma coca-cola…), campos de lavanda, queijos maravilhosos, comida sempre excelente e um calor beirando o insuportável! Escurecia às 22h — pois o sol se põe às 21h30 no verão — e apesar de ser alta temporada, não achei tão incômoda assim, não, a quantidade de turistas. Ficamos 9 noites em Arles por causa do festival e fomos de ônibus passar o dia em Saintes Maries de la Mer e em Aix-en-Provence. O melhor a fazer — até porque não se faz dieta em uma viagem assim e é preciso queimar um pouco das calorias  — é caminhar bastante para conhecer bem esses lugares. Caminhar sem destino certo mesmo, é tudo tão lindo! Depois não teve jeito, é preciso alugar um carro para conhecer os vilarejos e ir até o Luberon, um dos lugares mais lindos dessa terra com certeza! Nós fizemos um ótimo negócio, alugamos nosso carro na concessionária Renault e pagamos bem mais barato. Só descobrimos essa possibilidade pela dica do Christian, nosso anfitrião no hotel St. Trophime. É um hotel pequeno, mas muito confortável e charmoso. Acho que o legal em lugares assim é que sempre rolam umas conversas e dicas boas. Teve uma tarde que pedimos para usar as mesas do jardim para um lanche e acabamos ganhando uma garrafa de champagne do Christian…

Precisa falar francês? Precisar não precisa, mas ajuda bastante. Na estação de trem em Avignon, a pessoa que nos atendeu para informar como iríamos para Arles não falava inglês. Claro que o Gui acabaria descobrindo o que queria, mas foi bem mais fácil falar com ela em francês. E Christian não fala inglês, então se não fosse a Grazi com seu francês perfeito e o meu meia-boca, não teria havido champa e nem as boas dicas que ele nos deu…

Quais lugares são imperdíveis? Ah, tudo é imperdível e ao mesmo tempo não dá para ir a todos os lugares. O segredo é curtir cada momento e lembrar que ir de um lugar pro outro já é a melhor parte do passeio. St. Rémy-en-Provence é a coisa mais lindinha do mundo e a paisagem em Les Baux-en-Provence é fabulosa. Em Gordes nem entramos — turistas demais e a vista da estrada é a coisa mais perfeita do mundo. Roussillon no fim da tarde é tudo. Arles é especial, um pedacinho do passado preso no presente. Uma das boas dicas que recebemos lá em Arles foi a do Château de Estoublon, no caminho para St. Rémy. Paramos lá para almoçar no bistrô — que estava fechado — e acabamos degustando três deliciosos vinhos (comprei dois!). Aliás, esse seria um lugar absolutamente perfeito para um destination wedding: capela fofa para umas 30 pessoas, um jardim imenso em frente ao château para a recepção, vinho local indescritível… luz linda no final da tarde… Só não pode ser no verão, porque ninguém merece derreter! Se alguém se animar, sou capaz de ir de graça!

Melhores dicas? Leve a mala com pouca roupa e bastante espaço para trazer comprinhas (vinho, azeite de oliva, sal de Camargue, creminhos, sabonetes de lavanda, chocolate, chás, etc., etc., etc.), não esqueça câmera fotográfica, protetor solar e chapéu, beba vinho todo dia e faça compras na feira para um piquenique (na beira do rio, na beira da estrada, em um banco de praça, qualquer lugar é lugar). Não é uma delícia?

6 ideias sobre “férias mode OFF

  1. Grazi

    Owwwnnn…… saudades demais dessa viagem!!!
    Merci pelo francês perfeito, mas ainda falta muito para ele ser do jeito que eu quero!!
    Adorei o post!
    bisous

    Resposta
  2. Ana Helena

    Oh God, vc me deixou mais ansiosa ainda com todos esses detalhes de Provence! Quero já minha lua-de-mel !!!!
    Anotei toda as dicas, com certeza meu roteiro vai passar por todos esses lugares e por todos esse vinhos!
    Beijos

    Resposta
  3. erika lais

    Ai que invejinha boa, que viagem maravilhosa, que lugar lindo e ainda mais unir o util ao agradavel, quer coisa melhor???? Queremos fotos, fotos e mais fotos, para curtir virtualmenteum pouqunho do q vc curtiu pessoalmente, só um gostinho vai, rsssssssssss
    Parabéns por tudo e um beijão
    Erika Lais

    Resposta
  4. Thaysa

    Nossa, mais uma vez você me surpreendeu! isto não são fotos, são pinturas!!! quando puder poste mais destas PINTURAS de sua viagens! são super inspiradoras.

    Parabéns!

    Resposta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s