Arquivo da tag: festa

julia + luisito

Eu não tenho certeza se em português é assim mesmo tão bonitinho, mas quando vivi no Canadá, um de meus adjetivos preferidos era adorable, uma palavra delicada e uma maneira linda de dizer que algo ou alguém é agradável.  Na verdade bem mais que agradável, pois ser adorável é também inspirar afeição,  ter charme e deliciar as pessoas com a sua presença. Julia e Luizito são assim, adoráveis, no plural mesmo. Eles são daqueles casais que fazem a gente usar expressões  batidas como “nascidos um para o outro” — um tão simpático e gente boa como o outro, batendo papo e dando risada com você como se te conhecessem há anos. No dia em que eles vieram aqui no estúdio, por indicação da Alessandra, eu tinha certeza que a festa deles seria uma delícia de fotografar. Foi mesmo, um festão, com pista de dança lotada, muitos amigos e — mais importante que tudo — noivos apaixonados que não perderam um minutinho sequer da diversão… Eu estava cheia de expectativa, pois eu já tinha encontrado esses dois no casamento da Lele, no casamento da Patricia e do Fernando (que chegaram aqui por indicação da Julia) e, a cada vez que nos víamos, a Julia dizia que não aguentava mais esperar pelo seu… e eu também! Sem nem ter visto as fotos do seu próprio casamento, ela já  havia me indicado para mais dois casais (eu também vou fotografar o casamento da sua irmã em novembro)… Confiança assim é algo muito especial e eu me sinto muito honrada de merecê-la!

• a cerimônia e a festa foram no Jockey; uma vista linda, não? O vestido é Emanuelle Junqueira.

• um agradecimento importante: em uma festa com mais de 400 convidados é impossível fotografar tudo e todos sozinha e nem mesmo somente com a ajuda do Gui. Tivemos a ajuda de nossa querida fotógrafa residente Juliana Neumann. São dela as fotos dos bem-casados, da menininha dormindo e a que abre o post. Thanks, Ju, é um prazer ter você com a gente!

marina + arthur

A semana anterior a esse casamento foi de muita ansiedade. Só chovia, chovia, chovia. E que injustiça seria se chovesse em um lugar tão lindo! Nada contra a chuva, mas quando se casa a céu aberto, tudo o que se espera é que não seja preciso mudar nada de lugar no último momento. E seria realmente uma pena se perdéssemos o visual da cerimônia entre as palmeiras imperiais. Quando acordei no sábado, o dia estava muito feio em São Paulo. Não chovia, mas fazia frio e o céu estava escuro. A previsão do tempo prometia que aqui estaria chuvoso mas que no interior as nuvens apenas enfeitariam o céu. Pegamos a estrada e foi com alívio que sentimos o sol nos aquecer dentro do carro antes mesmo de chegarmos a Jundiaí. Na Fazenda Vila Rica, o sol brilhava e todos estavam animadíssimos. A cerimônia foi no horário, fato importantíssimo se você quiser que suas fotos sejam iluminadas pela luz do fim de um dia surpreendentemente bonito. Acho que foi o dia mais longo de nossa história como fotógrafos de casamento; saímos de casa às 13h e chegamos de volta às 6h do dia seguinte! É que a festa teve “dois turnos”: o DJ contratado cuidou do som até às 2h30, depois quem assumiu as pick ups foram os amigos do casal, que mandaram muito bem no tecno (tocaram algumas de minhas músicas favoritas) e – ouvi dizer – mantiveram o povo dançando até às 7h!

marcele + christiano

“Se eu não casasse cheia de brilho, não ficaria feliz!”. O vestido e a festa da Marcele foram assim, tão luminosos como ela, uma noiva doce, delicada e gentil com todos ao seu redor. Eu fui sua única companhia durante os preparativos e me senti tão acolhida quanto os muitos convidados que vieram do RS, terra natal da noiva. Marcele certamente encontrou seu par perfeito, pois Christiano é um dos noivos mais gente boa que já conheci, tão bacana que, na hora de agradecer a presença dos convidados, também agradeceu quem trabalhou na produção da festa, quem estava trabalhando naquele momento e quem iria trabalhar na desmontagem do evento! Os dois tem aquela sintonia dos casais que se completam; ela é festeira e adora foto; ele não curte muito ser fotografado, mas fez de tudo para agradá-la e a todos os amigos que vieram de longe. A cerimônia foi linda, daquelas que fazem todo mundo chorar (inclusive eu!), com os noivos cantando baixinho um para o outro Como é grande o meu amor por você na hora da benção das alianças (e sendo acompanhados pelos convidados!). Lindo!

Para que tudo desse certo, contaram com a ajuda da Flavia Queiroz da Save the Date. Foi a primeira vez que trabalhamos juntas e foi tudo mais do que perfeito. O Contemporâneo estava lindamente decorado, a festa foi animada e a gente podia sentir o quão satisfeitos os noivos estavam. Além de tudo, é bom demais trabalhar ao lado de gente que está sempre sorrindo!

• a noiva se arrumou no Ash, o vestido é Solaine Piccoli.

isabela + marcio

Foi amor à primeira vista… entre noiva e fotógrafa! Eu adoro dar idéias, indicar fornecedores, ajudar no que for possível e gosto muito de ouvir as histórias – tanto dos preparativos como de como os noivos se conheceram. Nem todo mundo gosta de contar, mas rolou uma empatia e a nossa conversa foi longe. Depois o Marcio também veio aqui no estúdio pra gente se conhecer antes do casamento –  o que é ótimo, mas a maioria dos noivos a gente só conhece no dia – e eu descobri o quão alto ele é. No dia do casamento chovia muito e eu resolvi sair bem cedo com medo que houvesse algum alagamento no caminho entre minha casa e o Hilton. Cheguei quase cedo demais, a Isa estava lá com as melhores amigas, foi superdivertido. Foi lindo quando ela se viu pronta, o cabeleireiro foi colocar o véu e o olho dela encheu d’água, foi muita emoção. Melhor assim, antes da entrada, quando seu maquiador está ali do lado para fazer qualquer retoque necesseário! A cerimônia foi delicada e muito pessoal e a festa foi superanimada. Foi um dia muito especial para eles e também pra gente, pois dia 24/01 comemoramos um ano de casados! Não, não achei ruim trabalhar nesse dia. Compartilhar da alegria de quem está se casando só faz a gente se lembrar de como foi bom o nosso próprio casamento e trabalhar ao lado do Gui sempre me faz pensar em como eu sou afortunada de o ter  encontrado!

• cerimônia e festa foram no Trivento, tudo organizado pela Isabella da Cheers (dá pra ver ela correndo no canto da foto da noiva se preparando para caminhar rumo ao altar). A noiva se arrumou no Hilton.

stephanie + paulo

Fotografar o casamento desse adorável casal foi a melhor maneira de começar o ano! Eu já sabia que o quão simpáticos e atenciosos eles são mas não fazia idéia do quão emocionante seria participar desse dia. Não tem jeito de explicar isso melhor, sei lá, algumas pessoas tem essa capacidade de nos tocar e emocionar. Talvez seja a maneira como eles se abriram para mim, essa total liberdade que o fotógrafo ganha quando as pessoas confiam no que você está fazendo e não tem medo de deixar à mostra os sentimentos. Desde a primeira conversa eu percebi o quanto esse dois se gostam e como esse sentimento transborda quando eles se falam e se olham. A Stephanie é a gringa mais brasileira que eu já conheci! Foi muito gostosa e tranquila a tarde dos preparativos. Ela passou a tarde no Hyatt com a irmã, a mãe e a avó e fez questão de brindar com todo mundo, cabeleireiras, maquiadoras, fotógrafa e cinegrafista (eu não recusei, recusar um brinde assim em privado é desrespeito e tomar um golinho de champagne não faz mal a ninguém). Ela estava um pouquinho nervosa, mas foi tudo tão tranquilo que eu até estranhei. Se as noivas brasileiras fossem assim, bem organizadas e pontuais! (ó eu na campanha não atrase peloamordedeus!). Deu tempo de fotografar com calma, só eu e ela no quarto. Diz se o retrato não ficou lindo, um quê de Audrey Hepburn naquele tomara-que-caia com coque? Quando cheguei no Gardens, Paulo me recepcionou calorosamente. Fez questão de me apresentar para o pai da noiva, que ficou feliz de saber que havia mais algumas pessoas fluentes em inglês. A decoração estava linda e cerimônia foi emocionante. Eu fiquei especialmente emocionada quando vi as fotos do ensaio que fizemos em dezembro no telão, ficou lindo! A balada foi longe e a batucada fez todo mundo ter samba no pé – gringo ou brasileiro.